quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Edward Burtynsky

Conheci recentemente o trabalho de Edward Burtynsky. Veio ao encontro de algo em que eu já vinha pensando há muito tempo. Morar numa metrópole (ainda que seja numa metrópole provinciana, como é o caso de Porto Alegre) tem seus custos à saúde mental: como continuar vivendo sem perder o sentido, se ali fora da janela do ônibus se escancara a repetição, o excesso e a irracionalidade desse way of life que levamos? Parece que Burtynsky também refletiu sobre isso.
 

Ele é um fotógrafo canadense mundialmente reconhecido por seu trabalho, que retrata cenários industriais e minérios. Descendente de ucranianos, nasceu em 1955, em St. Catharines (Ontario), e estudou na Graphic Art at Niagara College in Welland. Em suas fotos, Burtynsky explora a delicada relação entre natureza e indústria; disse que grande peso teve em sua formação o contato com instalações de uma fábrica da General Motors em sua cidade natal desde cedo.
 
> CHINA
A exposição China rodou pela Ásia, EUA, Canadá e Europa entre 2003 e 2005. As fotos abaixo, que mostram o cotidiano em fábricas da província sulista de Guangdong, fazem parte dela
90% dos enfeites de Natal são de origem chinesa.
29% dos televisores.
75% dos brinquedos.
70% dos isqueiros.
Esses dados monstruosos escondem algo ainda mais perturbador: como vivem as pessoas por trás das fábricas, as pessoas que rodam as engrenagens desse sistema? Alojamentos, refeitórios e linhas de produção: pessoas dispostas num padrão, como se fossem nada mais que peças dessa engrenagem.
 


Para conhecer melhor o trabalho de Edward Burtynsky, acesse seu site oficial.
.

>>>Ler artigo completo