quinta-feira, 25 de março de 2010

Fotografias noturnas

De modo geral, paisagens urbanas tornam-se fotograficamente mais interessantes ao cair da noite. Edifícios cuja arquitetura passaria despercebida durante os dias coloridos revelam sua outra face sob a iluminação artificial dos postes e faróis dos carros.



A noite revela novos tons e possibilidades, mas tenho certeza que muitos de vocês já tentaram conseguir imagens noturnas com uma câmera automática e o resultado deixou muito a desejar... não é mesmo? Sei que eu já me frustrei muuuitas vezes, e justamente por isso resolvi falar um pouco sobre o assunto neste artigo.


> O QUE VOCÊ VAI PRECISAR?


Antes de mais nada, é preciso ter um cuidado especial com a segurança. Quem mora numa cidade grande sabe que as ruas ficam ainda mais perigosas à noite, e é sempre importante estar precavido. Convide alguns amigos para lhe acompanhar e evite andar por regiões desertas. Parece meio óbvio falar disso, mas é fácil nos distrairmos quando estamos fotografando - e alguém pode aproveitar a oportunidade para nos surpreender. Não custa prevenir, portanto.


Quanto ao equipamento, certifique-se antecipadamente que a bateria da câmera esteja com a carga completa e o cartão de memória funcionando adequadamente (não sei se isso acontece com vocês, mas meu cartão de memória é meio temperamental e já me deixou na mão algumas vezes). Se você tiver um tripé, leve-o junto: é praticamente impossível conseguir fotos noturnas nítidas sem apoiar a câmera em algum lugar estável. Ah, e uma lanterna e alguns pedaços de papel celofane coloridos podem ser bem úteis (veja abaixo por que).


> AO CAIR DA NOITE


Um bom horário para fotografar é pouco antes do cair da noite (na "hora mágica", mais precisamente), quando o céu ainda está levemente iluminado pelo sol e é possível avistar o contorno das construções no horizonte; ao mesmo tempo, a luz gerada pelos postes e faróis dos carros já se faz presente, e o contraste entre os diferentes tipos de iluminação resulta em imagens fantásticas, algo urbano com um certo ar bucólico.



Aproveite esse momento para conseguir imagens que incluam o céu no enquadramento.


> DEPOIS QUE A NOITE CAI


Se sua câmera oferece controle manual do tempo de exposição... sorte sua! Você pode conseguir muitas imagens interessantes com esse recurso: dá para captar o "rastro" dos faróis dos carros, deixar nítido um cenário que ficaria escuro com um tempo de exposição baixo, e muito mais. Outra coisa interessante para se fazer com esse recurso é aliá-lo à luz de uma lanterna: durante o tempo em que a lente estiver exposta, você pode iluminar partes específicas de uma cena; assim, cria-se um jogo de claro e escuro e você destaca apenas o que quiser.


Caso você escolha usar a lanterna como iluminação auxiliar, é válido levar também alguns recortes de papel celofane de diversas cores, para testar um visual diferente no resultado final das imagens. Lembre-se também de que, ao contrário do flash – que ilumina uma área grande e de maneira relativamente uniforme – a lanterna serve principalmente para ressaltar detalhes e causar efeitos dramáticos.


Geralmente é melhor deixar as lâmpadas artificiais de fora do enquadramento, mas dá para aproveitar suas luzes e o contraste claro/escuro numa rua, por exemplo. Se você enquadrar as lâmpadas, a foto pode ficar superexposta e o resultado será ofuscado pela claridade excessiva.


> ISO


E que valor de
ISO escolher para esse tipo de foto? O ideal é utilizar um valor mais baixo (entre 200 e 400), para evitar a formação de pontos coloridos nas imagens. Caso sua câmera não permita o ajuste manual do ISO, fotografe com a maior qualidade disponível nas configurações; assim você poderá tratar a imagem posteriormente para corrigir possíveis falhas da máquina.


> (+) BÔNUS!


Se você seguiu todas as dicas mas ainda assim acha que o resultado não está bom... caaalma! Fotografia noturna não é algo simples e também não existe uma fórmula infalível que você possa seguir e acertar rapidamente. É preciso ter paciência, tentar várias vezes, errar muito para começar enfim a acertar. Não desista: uma vez que você persistir e descobrir como conseguir o melhor de sua câmera à noite, tudo começará a melhorar ;)

.

>>>Ler artigo completo

terça-feira, 23 de março de 2010

Foto do leitor: Uelton Gomes

Nesta edição da Foto do leitor conto com a participação do querido Uelton Gomes, que já acompanha o blog há bastante tempo. Confira as fotos dele e a mini-entrevista, e se você também quiser mandar suas fotos para serem publicadas aqui, entre em contato através do e-mail ajusteofoco@gmail.com.


> MINI-ENTREVISTA + FOTOS

Quando você começou a se interessar por fotografia?


Sempre gostei de fotografia, me lembro que aos 12 anos andava com uma máquina na mão tirando fotos de tudo e de todos, mas o interesse de ler sobre o assunto veio no começo de 2008.



Qual estilo de fotografia mais te atrai?


Gosto muito de fotografar landscape, às vezes arrisco fotografar em preto e branco.

Essa fotografia tirei quando fui para Aparecida do Norte-SP, e não foi fácil tirar essa foto, porque nesse dia tinha muito sol e eu não conseguia ver nada na tela do LCD da máquina, e como minha câmera não tinha visor ótico tive que esperar passar uma nuvem sobre para amenizar a luz do sol.


Já fez algum curso na área?

Nunca fiz, leio muito sobre fotografia, compro revistas e leio blogs.



Qual equipamento utiliza?

Utilizo uma Kodak EasyShare Z915, engraçado que no começo não gostava dela, mas aprendi a mexer em suas funções e hoje a acho sensacional. Ah! Não posso esquecer também do tripé, esse me acompanha sempre.


Essa foi tirada quando visitei o Parque Horto Florestal em São Paulo, gosto muito dessa foto, consegui retratar bem o que estava vendo naquele momento.


Você tem algum "truque" na hora de fotografar, alguma dica que possa ser partilhada com todos que lêem o blog?

Nada de especial, normalmente fotografo o mesmo objeto mais de três vezes, brinco com velocidades e aberturas diferentes.



Inspiração para as fotos:

As paisagens são as minhas inspirações, ao me interessar por fotografia percebi que meu senso de observação ficou mais apurado, observo lugares com um olhar diferente, às vezes quando não estou com minha máquina e vejo uma cena interessante para fotografar eu falo "Poxa! É uma pena não estar com a máquina nesse momento". A fotografia é uma das coisas da vida que me dá prazer.


Uma curiosidade:

Não gosto de apagar as fotos ruins, elas servem de aprendizado, costumo revelar as fotos que ficaram ruim.


Parque do Ibirapuera - São Paulo. Ainda bem que estava com a máquina na mão nesse momento, pois tinha ido no parque para ver um show e certo momento deitei na grama e fiquei olhando para o alto, foi quando eu vi o sol entre as árvores não pensei duas vezes, peguei a máquina e comecei a fotografar. Fiquei muito feliz com o resultado.


Uma frase:

"A câmera não faz diferença nenhuma. Todas elas gravam o que você está vendo, mas você precisa ver." Ernst Haas



Quem quiser ver mais fotos do Uelton, basta acessar seu perfil no Flickr.

Agradeço ao Uelton pela participação, e lembrando que se você também quiser participar desta seção basta enviar e-mail para ajusteofoco@gmail.com
.

>>>Ler artigo completo

terça-feira, 9 de março de 2010

James Reynolds

Sinceramente, não lembro há quanto tempo eu não me deparava com algo tão impactante quanto o trabalho do fotógrafo e designer James Reynolds. Recém graduado em Design Gráfico pela Kingston University, o jovem londrino começou a chamar bastante atenção já com seus primeiros trabalhos.

A série
Last Suppers mostra nove imagens que retratam a última refeição de prisioneiros norte-americanos no corredor da morte. As fotos desses últimos pedidos traduzem as diferentes reações das pessoas diante da morte: vemos desde pedidos simples e inusitados, como uma única azeitona, um maço de cigarros, apenas frutas ou até mesmo uma cebola crua.

A temática poderia ser mórbida e pesada demais, mas ganha um ar interessante devido à disposição minimalista dos alimentos feita por Reynolds. Abaixo, todas as imagens da série Last Suppers; conheça melhor o trabalho dele aqui.












>>>Ler artigo completo